Meu filho começou a andar, mas pisa torto! O que devo fazer?

É muito comum ouvir esse tipo de questionamento dos pais cujos filhos começaram a andar há pouco tempo ou mesmo aqueles que já andam bem.

No período de aquisição do andar a criança pode fazer todo tipo de variação da posição dos pés, pois está buscando seu equilíbrio. Uma recomendação é, sempre que possível, deixá-la descalça para que desenvolva a musculatura dos pés e sinta melhor o chão, facilitando seu equilíbrio e ajustes posturais.

Além disso, existe uma explicação musculoesquelética que atende à grande maioria dos casos.

O bebê não é um adulto em miniatura, nem mesmo em sua estrutura óssea. Há muitas diferenças na anatomia do adulto e do bebê. A perna do recém-nascido é mais flexionada, rodada para fora e arqueada do que a do adulto. Afinal ele não podia esticar a perna dentro da barriga da mamãe! O ângulo entre o corpo e o colo do fêmur é de 150° ou mais no recém-nascido e vai diminuir para 125° a 135° por volta dos 6-7 anos, quando atinge o formato adulto. A movimentação do bebê, desde os chutes no ar, ficar de bruços, rolar, rastejar, engatinhar, vai contribuir fortemente para esse remodelamento ósseo, que é resultado do crescimento e da atividade muscular. Mas o que isso tem a ver com o pé torto?

O nosso corpo age como um todo, sendo que a posição de uma articulação afeta as articulações acima ou abaixo. Assim, quando estamos em pé, o pé se adapta à posição do quadril e joelho e vice-versa. Portanto, é natural que se pise um pouco torto à medida que essa biomecânica vai se estruturando gradativamente. É fisiológico uma perna levemente torta com os joelhos voltados para fora (genu varum) de RN até os 6 meses. Entre 1 ano e 7 meses e 2 anos a perna fica mais reta. Já com 2 anos e meio os joelhos ficam levemente voltados para dentro (genu valgum) para compensar os pés que são planos porque o arco da planta do pé ainda não está formado (ver figura abaixo).

Portanto, na maioria dos casos de crianças hígidas a orientação é que se acompanhe até 2 anos e meio a 3 anos para ver se pisada permanecerá desalinhada após essa idade de amadurecimento do andar. Contudo, vale ressaltar que a avaliação de um especialista (ortopedista ou fisioterapeuta) é essencial para diferenciar entre o pé/perna levemente torto, que é fisiológico e vai mudando com o desenvolvimento da criança, de um problema ortopédico real, que necessita de uma intervenção. Por isso, consultar seu médico é sempre indicado.

 

Leila Suzuki Saita

Fisioterapeuta

Equipe Paedi

No Comments Yet.

Leave a comment